Voltar ao topo.

Cortinamento Vegetal#

A Central de Triagem com Aterro Sanitário de Resíduos Sólidos Urbanos de propriedade do Consórcio Intermunicipal de Cooperação em Gestão Pública, possui uma área de 71.048,98 m² sendo que a mesma é toda cercada e possui no seu entorno uma faixa de Cortinamento Vegetal. Esse cortinamento é formado por exemplares de espécies nativas e exóticas.
A função primordial de equilíbrio ambiental e ecológico proporcionado pelo paisagismo com espécies nativas diversas jamais poderá ser comparado a culturas homogêneas de espécies alienígenas (Lorenzi, 1992). Os benefícios diretos para o ambiente e para os seres vivos de uma forma geral:


Abrigar e alimentar a vida silvestre- Os bosques nativos, preservados ou criados pelo homem, abrigam e protegem insetos, pássaros e pequenos animais. Esta proteção garante a diversidade da flora e fauna através da preservação da vida dos agentes polinizadores, dos predadores naturais e das pragas e doenças que pertencem a este mesmo ecossistema.

Reduzir o consumo de água- As espécies nativas são mais resistentes e requerem menor quantidade de água em seu desenvolvimento, principalmente quando comparadas com áreas gramadas.

Reduzir o consumo de energia- O sombreamento conseguido com as copas das árvores plantadas ou preservadas pode reduzir o consumo dos aparelhos de ar condicionado em até 50% no verão.

Reduzir os custos com a manutenção das áreas plantadas- Espécies nativas são mais fáceis de manter. São menos suscetíveis a pragas e doenças do que as exóticas, e requerem menos uso de fertilizantes e agrotóxicos.

Recuperar a biologia dos solos- Os vegetais, através de suas raízes, mantêm os solos vivos e úmidos, preservando pequenos insetos e fungos naturais deste ambiente.

Diminuir a quantidade de partículas sólidas na atmosfera- O uso planejado das espécies de árvores caducas (aquelas que perdem as folhas no inverno) auxilia na dispersão das partículas sólidas, que se depositam nas suas folhas, renovadas anualmente.

Diluir os poluentes gasosos- Quando formados, os maciços vegetais têm uma grande influência na diminuição dos ventos e no aumento da turbulência da massa aérea. Desta forma, ocorre uma maior precipitação de particulados e, consequentemente, uma maior diluição dos poluentes gasosos.

Reter a umidade nos solos -Os maciços vegetais absorvem o excesso de água das chuvas que eventualmente escorrem pela superfície dos solos, evitando que se escoem pelos esgotos pluviais. Dessa forma, a água é devolvida à atmosfera pela transpiração das árvores, indo formar novas chuvas.

Proteger os solos- As árvores fazem a captação de águas pluviais pelas raízes, amortecem o impacto das chuvas no solo, drenando os terrenos e impedindo a ação da erosão.

Filtrar e desintoxicar os solos- As raízes das árvores absorvem e filtram as águas das chuvas contaminadas com resíduos químicos, fertilizantes e agrotóxicos, que escorrem sobre o solo, evitando a contaminação das águas do subsolo. 

- Filtrar a atmosfera -Os vegetais são capazes de sintetizar oxigênio, filtrando os gases da atmosfera.

O cortinamento é formado por espécies nativas e exóticas, a seguir:





















































































































































































































 Espécies NativasNome CientíficoQuantidade
1. Araça-amareloPsidium cattleianum93
2. AguaiChysophyllum gonocarpum55
3. Ingá-feijãoInga marginata66
4. PitangaEugenia uniflora98
5. GuajuviraPatagonula americana62
6. CedroCedrela fissilis90
7. PaineiraChorisia speciosa90
8. SibipirunaCaesalpinia pluviosa42
9. GuabijuMyrcianthes pungens85
10. RomãPunica granatum35
11. Canela guaicáOcotea puberula (Rich). Nees15
12. Camboatã vermelhoCupania emarginata83
13. Ipê amareloTabebuia chrysotricha80
14. Ipê roxoimpetiginosa65
15. TimbóAteleia glazioviana15
16. AngicoAnadenthera macrocarpa70
17.Pata-de-vacaBauhinia variegata25
18. Chal-chalAllophylus edulis83
19. Louro- pardoCordia trichotoma45
20. Jacarandá mimosojacaranda mimosifolia10
21. Aroeira salsaSchinus molle86
22. FigueiraFicus guaranitica02
23. Angico-vermelhoParapiptadenia rigida65
24. AraticumRollinia sylvatica98
25. Aroeira-vermelhaShinus terebinthifolius80
26. BranquilhoSebastiania commersoniana90
27. CanafistulaPeltophorum dubium45
28. Canela-do-brejoMachaerium stipitatum46
29. Capororoca miúdaRapanea ferruginea20
30. CocãoErythroxylum deciddum65
31. PitiáAspidosperma olivaceum37
32. Coqueiro jeriváSyagrus romanzoffiana02
33. CarobaJacaranda macrantha45
34. Rabo-de-bugio-brancoLonchocarpus muehlbergianus65
35. Uvaia Eugenia pyriformis45
36. GuabirobaCampomanesia xanthocarpa56
37. Pessegueiro-bravoPrunus myrtifolia75
38. CerejeiraEugenia involucrata60
39. LeiteiroSapium glandulosum80
40. JabuticabaMyrciaria cauliflora33
41. CabriúvaMyrocarpus frondosus75
42. Açoita-cavaloLuehea divaricata55
43. FumeiroSolanum mauritianum45
44. UmbuzeiroSpondias tuberosa62
45. Pinheiro-do- ParanáAraucária Angustifólia12
TOTAL2.551
Espécies Exóticas
Nome Científico
Quantidade
46. Eucalipito1.500
47. Uva-do-Japão20
48. Canelinha14
49. Cipreste200
TOTAL1.734


















































































































































































































Cadastre-se e receba novidades
Fique por dentro das melhores ofertas
Cadastre-se e receba novidades
78
128--